EVENTOS

PIRA NA JAU

Ao escolher o Ateliê Piratininga para a exposição inaugural de seu espaço de co.working, a Jau estabelece um paralelo entre sua trajetória e a produção do grupo.  A atemporalidade de uma técnica e o trabalho coletivo são campos para este diálogo, marcando o novo momento deste espaço.

Tida como meio tradicional e de iniciados nas artes visuais, a gravura, na produção deste grupo, é atualizada em seus temas, linguagens, técnicas e, mesmo, suportes. O gesto do artista, tão caro ao Expressionismo onde a gravura atingiu um dos seus pontos altos, não perde seu lirismo, mas aponta outras direções. Se antes era marca de uma individualidade que visava fazer frente à máquina, agora esta técnica, situada entre a série e a manualidade do trabalho do artista, procura conferir identidade e valor perene em um mundo de transitoriedades e liquidez.

Isto é dito, pois – muito mais que o gesto romântico – lembremos das fotogravuras – é posição calculada neste contexto, porque, a partir de suas possibilidades reprodutivas e da didática que seu processo permite, é educação do olhar – vide o crescente interesse em técnicas gráficas atualmente. A compreensão do fazer traz o apuro estético.

É o que o Pira traz à Jau.

 

KAYTHOSS

A JAU  co.working expõe objetos sofisticados de design de Kay Thoss, que há mais de dez anos atua no segmento de artes e design de mobiliário. Formado pela Bauhaus, Thoss traz a essa curta mostra uma série de 15 de peças feitas a partir de matérias-primas selecionadas, como Eucalyptus e laminado HPL propagando um estilo peculiar que lhe rendeu prêmios em feiras internacionais na Itália e Alemanha. Utilizando desde as mais recentes inovações da indústria e produzindo também  peças únicas a partir de materiais brutos, seu desenho nunca perde de vista a qualidade estética do standard, pois é sintético nesses dois campos.